No início de outubro cruzamos o Centro-Oeste dos Estados Unidos e chegamos à costa banhada pelo Oceano Pacífico Cruzamos desertos bonitos e assustadores, chuvas, as Montanhas Rochosas e chegamos às florestas de árvores gigantes nos estados de Oregon e Washington, as chamadas redwoods. Quando pegar estrada todo dia, entrar em universidades, supermercados e visitar pontos turísticos que parecem todos iguais, a natureza nos lembra que ainda há muita coisa diferente para ver e um mundo de diversidade escondido atras das cidades. Temos feito algumas caminhadas nas florestas e parado em pontos na estrada para fazer um lanchinho rápido, olhar um canyon ou rio. Muita coisa está poluída e não pudemos nadar em alguns lagos ou nem mesmo tocar em rios, como o Rio Mississipi em Saint Louis, que tem radiação até na areia. Mas mesmo assim é impressionante quanta natureza há aqui ainda vigorosa.

Na primeira semana de outubro falamos em alguns lugares pequenos e lotados, como em Iwoa City, numa salinha com 80 pessoas. Em Kansas City falamos em um estúdio de tatuagem onde uma galera anarquista trampa e organiza atividades como Food Not Bombs (quando anarquistas se reúnem semanalmente para coletar comida que seria descartada em feiras e mercados para cozinhar dezenas ou centenas de pratos para serem servidos gratuitamente nas ruas e praças).
Em Boulder, no colorado, falamos em uma república e em Denver não fomos ao aeroporto Iluminati mas tivemos duas atividades no mesmo dia. Uma bem vazia em uma universidade e outra numa livraria no centro da cidade. Nada muito interessante. Mas, como precisávamos imprimir algumas coisas como folders e panfletos, nos convidaram para conhecer uma gráfica auto-gerida por anarquistas chamada P&L Printing. Foi uma das coisas mais incríveis que vimos no role. O pessoal tem um galpão imenso, com esquipamentos para todo tipo de trabalho gráfico e serigrafia em papel e em ropas. A galera faz uns trampos comerciais para se manter mas também tem tudo à mão para fazer livros, zines, posters e tudo que for preciso para os projetos libertários da região. E lá imprimiram muitas coisas para nós como zines e panfletos em apoio a pressxs ou pessoas enfrentando repressão legal no Brasil e República Tcheca. O lugar é tão foda que da vontade de morar lá uns meses pra imprimir todos os zines, posters, camisas e tudo que punks gostam de fazer.


De lá fomos para Salt Lake City e falamos numa casa anarquista enorme chamada Boing! Anarchist Collective que tem um infoshop e biblioteca comunitária. Na entrada tem uma varanda com loja grátis e peguei um moletom novo já que perdi minha única jaqueta de frio há uns 3 mil kilômetros atrás. Então fomos para nossa primeiramente cidade no estado de Oregon, Pendleton. Uma cidade com clima de faroeste onde tudo tem imagem de cowboy ou dos índios que foram exterminados ali. Então fomos para Seattle, que além de ser a cidade do Nirvana, foi o palco das maiores manifestações e confrontos envolvendo anarquistas todo mundo que protestava contra o OMC e a globalização econômica. Não conhecemos nenhum espaço libertário lá, mas falamos numa sala de universidade cheia de pessoas interessadas e o debate foi bem animado.
Algumas vezes estamos começando a chamar a atenção dos gringos para o quanto eles são alienados dos outros fatos e comunidades no mundo. Um país que conta com tanta estrutura e recursos, tanta gente produzindo textos e espaços libertários, é fácil se fechar em si mesmo. Já perdi as contas de quantas pessoas me perguntaram se o Brasil fica na América do Sul ou se falamos francês. Claro que sabemos onde fica os EUA e qual a língua oficial. E essa desproporcionalidade é vista também na política radical. O quanto lemos e sabemos do que se passa no primeiro mundo é muito maior do que o que sabem de nós. E fica evidente o quando é impactante estar aqui pessoalmente compartilhando pessoalmente experiências e reflexões. Se queremos realmente construir uma rede internacional de apoio, precisamos começar pelo nivelamento do fluxo de informação e comunicação.

Diário de viagem no blog:
paramudartudo.com/blog
Diário de viagem no Facetruque:
facebook.com/paramudartudo
ROTEIRO e outras informações:
www.crimethinc.com