NÃO ACEITE PAGAR UM CENTAVO SEQUER POR ELES!

Quem cobra um preço por eles age de má fé e corrompe a proposta do projeto.
__

Talvez você esteja se perguntando como foi possível fazer um material em boa qualidade de papel e impressão, numa escala relativamente grande (5 mil cópias) e ainda distribuí-lo totalmente de graça em todo o país (e no mundo). Bom, a resposta é: Anarquia.

É incrível o que podemos alcançar quando traçamos um objetivo e convidamos pessoas com as mesmas ideias para se apoiarem. Se estamos fazendo um chamado anarquista, então nada melhor que exercitar a cooperação, autonomia e o apoio mútuo no decorrer do processo – porque isso é Anarquia. Todos os recursos captados, assim como o trabalho de a escrita, traduções, reescrita, a revisão do texto, o design, a produção dos vídeos, sites, posters e – por final – a distribuição, tudo foi e está sendo feito voluntariamente por pessoas que acreditam no projeto e desejam passar ideias e práticas libertárias adiante.

Tudo isso para que pudéssemos atingir o maior número de pessoas possível DE FORMA GRATUITA e aceitando apenas contribuições e doações voluntárias de pessoas ou grupos autônomos que querem e podem apoiar financeiramente – JAMAIS DO ESTADO, PARTIDOS OU EMPRESAS.

Nos esforçamos para levar nossos materiais para eventos, feiras, protestos, deixar em espaços libertários e mandar a diversos coletivos pelo país para que o distribuam em seus próprios eventos ou seus espaços.

As únicas coisas que pedimos são os custos de envio (quando não achamos alguém pode fazer o favor de levar grandes quantidades até outras cidades), mas sempre deixando claro que os livretos são para serem distribuídos, e NÃO VENDIDOS.

grátis

>>>
“MAS SE TUDO FOR ASSIM, NÃO VAMOS FALIR AS DISTRIBUIDORAS DE MATERIAL INDEPENDENTE?”

Bom, é claro que participamos de outros projetos e publicações que vendemos por um preço fixo. E se as coisas tem um custo porque capitalistas detém a matéria prima e as máquinas, é normal cobrar por elas, para continuarmos mantendo nossos projetos enquanto não possuímos e comunizamos todas as formas de produção das quais precisamos. Mas no caso do projeto Para Mudar Tudo, ele foi PENSADO PARA SER GRATUITO, e trabalhamos e buscamos apoio de forma que ele funcionasse assim do início ao fim. Então, pedimos que as pessoas mantenham essa proposta não sujando suas mãos e relações desnecessariamente com dinheiro.

Se alguém quiser distribuir o material, mas precisa fazer isso pedindo uma contribuição pelo envio de quem pegar um livreto, ótimo, mas deixe claro que é uma CONTRIBUIÇÃO VOLUNTÁRIA que esta cobrindo o ENVIO. E o custo de envio é em média de 50 CENTAVOS por cópia. Quem tiver dá um pouco e QUEM NÃO TIVER, NÃO DÁ NADA E LEVA DO MESMO JEITO. Nossa experiência tem mostrado que isso funciona tanto financeiramente quanto como propaganda pela ação, e permite que pessoas que não tem grana ou não confiam ainda no projeto ou na ideia possam pegar o material e passar a gostar e a confiar em iniciativas parecidas.

Caso veja alguns de nossos livretos em mesas de distribuidoras ou banquinhas independentes, não se acanhe: pegue um e não se sinta obrigadx a pagar um centavo por isso e, se alguém reclamar, peça à pessoa para verificar esse post em nossas páginas no fachobook ou no blog.

A revolução não será monetizada.  😀